Mês: julho 2019

Ter uma horta em casa é um incentivo a mais para consumir tudo fresquinho no dia a dia, não é exclusividade de casas com quintais espaçosos, e para quem tem crianças em casa, o encantamento delas ao ver o desenvolvimento delas, pode tornar o consumo destas plantas muito mais prazeroso.
Além disso, cuidar da horta pode ser uma boa atividade para ser desenvolvida com a família, proporcionando mais tempo com os filhos, ajudando a ensinar lições de responsabilidade e proporcionando contato com a natureza.
Casas com pouco espaço ou apartamentos também podem dispor de um cantinho para o plantio de uma horta – basta escolher um local que receba algumas horas de luz solar direta.
Se o apartamento tiver muita insolação, como sol durante todo o dia, você pode ter uma horta completa, com ervas, hortaliças, leguminosas, etc. Mas, se bater poucas horas de luz, é possível plantar algumas ervas e temperos em varandas, sacada ou janelas.

ervas1

O parapeito da janela é o lugar ideal, se receber a visita do sol por algumas horas. 
ervas2
Jardineiras são ótimas para driblar a falta de espaço em apartamentos ou áreas pequenas.

ervas9

Na hora de escolher o melhor modo de plantar a sua horta, pense no espaço disponível, considere as espécies que deseja cultivar e avalie qual modelo melhor se integra à decoração e estilo da sua casa. Algumas formas de cultivar as plantas são:
Direto na terra: ideal para quem tem quintal com espaço, nesse modelo tradicional as sementes ou mudas são plantadas direto na terra.
ervas7
Vasos: vasos são alternativas práticas tanto para quem mora em casa quanto em apartamento, com várias opções de tamanhos, materiais, formatos e cores.
Embalagens recicladas: garrafas pet, latas de refrigerante ou alimentos, caixas de leite, potes de vidro. É uma saída barata, rápida e sustentável.
ervas11
Floreiras: oferecendo um bom espaço, as floreiras são ótimas para uma horta compacta em pequenos espaços.
Caixas de madeira: espaçosos e baratos, caixotes de madeira e pallets, podem ser boas escolhas.
Horta vertical: ideal para quem mora em apartamento, esse modelo consiste em montar a horta aproveitando espaços próximos a paredes. A horta vertical pode ser plantada em vasos, embalagens recicladas, estruturas de madeira e sapateiras.

ervas3

ervas

Lembre-se de instalar a horta no ambiente da casa com maior iluminação natural, pouca umidade e que não receba ventos muito fortes, que podem prejudicar algumas plantas. Outro ponto a considerar na hora de começar uma horta em pequenos espaços é o tipo das plantas: as necessidades de luz e espaço podem variar bastante entre as espécies.
O que plantar
A variedade de verduras, vegetais, ervas e temperos possíveis de cultivar em casa é muito grande. Para chegar nas escolhas ideais para você, é preciso levar em conta o espaço disponível, suas preferências e os cuidados que cada espécie exige.
Confira dicas de como cultivar algumas das principais espécies de plantas para fazer a sua horta caseira.
1. Hortelã
Como plantar: a hortelã pode ser plantada por mudas ou sementes, conforme a espécie. É aconselhado fazer o plantio em um local sem ação de ventos fortes, uma vez que estes podem prejudicar o crescimento da planta.
Quando plantar: embora a planta seja resistente a mudanças de clima, o ideal é plantar durante a primavera ou outono, quando as temperaturas são mais amenas.
Cuidados e quando colher: é preciso manter o solo adubado e irrigado, além de controlar o crescimento de ervas daninhas. A colheita pode ser feita a qualquer momento, tanto pela haste quanto apenas de algumas folhas. Ao colher pela haste, corte-a acima do primeiro par de folhas.
2. Salsinha
Como plantar: as sementes podem ser plantadas em recipientes com profundidade de, pelo menos, 30 cm, para favorecer o desenvolvimento das raízes. Para agilizar a germinação, uma dica é deixar as sementes de molho em água por um dia antes de plantá-las.
Quando plantar: a salsa pode ser plantada em qualquer época do ano, de preferência aproveitando dias em que não faça calor ou frio excessivo.
Cuidados e quando colher: mantenha o solo sempre bem irrigado e planeje adubações frequentes. A colheita pode ser feita, em média, de dois a três meses após o plantio. As folhas devem ser colhidas inteiras.

ervas12

3. Cebolinha
Como plantar: pode ser plantada em sementes ou mudas. Caso as sementes não sejam plantadas diretamente no local definitivo, o transplante pode ser realizado depois de 30 a 40 dias.
Quando plantar: durante todo o ano, dando preferência às épocas de clima ameno.
Cuidados e quando colher: solo irrigado e adubado, com abundância de nutrientes. A colheita pode ser feita de dois meses e meio a quatro meses após o plantio. Colha as folhas inteiras, retirando-as pela base e nunca pela metade.

ervas4

4. Alecrim
Como plantar: o alecrim pode ser plantado por sementes ou mudas. No caso das mudas, o transplante para lugar definitivo deve ser feito apenas quando o ramo atingir entre 15 e 20 cm.
Quando plantar: plantas jovens não devem ficar expostas a temperaturas muito baixas, então prefira realizar o plantio em épocas mais quentes, como primavera ou verão.
Cuidados e quando colher: resistente a secas, as regas devem ser mais frequentes na planta jovem e podem ficar mais espaçadas na planta desenvolvida. A colheita pode ser feita a partir do terceiro mês após o plantio, sem retirar mais da metade dos ramos de uma só vez para não prejudicar o crescimento.

ervas10

5. Manjericão
Como plantar: pode ser plantado em sementes já nos lugares definitivos ou para ser transplantado com cerca de 10 a 15 cm. Mudas podem ser feitas a partir de ramos de plantas adultas; neste caso, o comprimento deve ser de em média 15 cm e o ramo deve ser mergulhado em água até que as raízes se formem.
Quando plantar: o manjericão não tolera baixas temperaturas. O ideal é plantá-lo em épocas quentes, com temperaturas acima de 18º C.
Cuidados e quando colher: as folhas podem ser colhidas após dois ou três meses do plantio. A irrigação deve ser constante, mantendo o solo sempre com umidade média.

ervas6

6. Alface
Como plantar: a alface pode ser plantada em sementes diretamente no local definitivo ou transplantada posteriormente – nesse caso, o ideal é fazer a mudança quando a planta já tiver de quatro a seis folhas, com o solo bastante irrigado.
Quando plantar: estações de clima ameno, como primavera e outono, são as mais indicadas para o plantio. Altas temperaturas podem impedir o desenvolvimento das sementes.
Cuidados e quando colher: a melhor maneira de colher é cortando a planta pela base, deixando cerca de 2,5 cm de caule acima do solo para que as folhas possam voltar a brotar. A planta pode ser colhida entre 55 e 130 dias após o plantio.
7. Morango
Como plantar: pode ser plantado em vasos e outros recipientes facilmente por não possuir raízes profundas. É mais comum o plantio de mudas, mas também pode ser plantado em sementes.
Quando plantar: prefira dias frescos e nublados para realizar o plantio, especialmente na época que compreende o fim do verão até o fim do outono. O morango desenvolve melhor os frutos quando as temperaturas não são muito elevadas.
Cuidados e quando colher: para produzir mais frutos, corte os estolhos assim que eles surgirem. Colha quando os frutos estiverem maduros, o que ocorre de 60 a 80 dias após o plantio.
É vital seguir alguns cuidados para que o cultivo tenha sucesso do plantio à colheita, confira:
1. Iluminação
Pequenos espaços podem render ótimas hortas, mas para que as plantas tenham um bom desenvolvimento é preciso observar a iluminação do local. Para o cultivo de hortaliças precisamos de, no mínimo, cinco horas de luz do sol direta por dia, pode ser no período da manhã ou da tarde. Não coloque na sombra ou luz indireta.
Sendo assim, observe bem os cantos disponíveis e escolha o mais arejado e iluminado – se a incidência for de sol da manhã, melhor ainda! A luz do sol é indispensável para que a planta sobreviva, então jamais opte por locais escuros e não conte com a ajuda de iluminação artificial.
Vale lembrar também que a incidência de luz pode mudar e a horta precisa acompanhar a claridade. Para hortas dentro de casa que em geral estão em vasos, atenção para a mudança da incidência do sol ao longo do ano. Se necessário, mude-as de lugar.
2. Irrigação
A irrigação é uma parte importante no cultivo de uma horta e o modo como essa atividade é realizada pode fazer toda a diferença no desenvolvimento das hortaliças. A recomendação é para tomar cuidado com o excesso de água, que pode causar o apodrecimento das raízes. Para evitar o acúmulo, o ideal é optar por vasos com furos no fundo. Ainda assim, cuide para que você coloque uma quantidade moderada de água. Deve-se irrigar os vasinhos sem deixar escorrer água embaixo. A água em excesso causa a lixiviação do solo, ou seja, lava o solo, levando os nutrientes embora. O ideal é irrigar de modo que nunca escorra água.
Mas, então, qual a quantidade ideal de água? Acertar a quantidade e a frequência das irrigações vai depender muito das espécies plantadas e do local da sua horta – hortas em vasos tendem a secar mais rápido que em canteiros, por exemplo.
Difícil dizer quanto e quando irrigar. Varia de planta para planta, de clima para clima. Em geral, sugerimos regas diárias ou a cada dois dias. De preferência, no início da manhã ou fim da tarde quando não há incidência de sol sobre a horta.
Para verificar a necessidade de água, é importante observar o aspecto da planta, atentando-se para folhas amareladas, secas ou caídas, que podem ser sinais de falta de água. Outro método de verificação é inserir o dedo ou um palito no solo: se ao retirar o palito ou o dedo eles estiverem úmidos ou com terra grudada, o solo ainda está molhado; caso contrário, é hora de fazer uma nova rega.
Na hora de regar, a dica é direcionar a água com proximidade da raiz e evitar jogá-la “por cima”, de modo que a água não entre em contato com as folhas. Isto pode evitar que alguma doença que já esteja nas folhas prolifere para o resto da planta.
3. Preparação do solo
A preparação do solo é um passo importante para seguir antes de dar início ao plantio dos vegetais. É preciso garantir que o solo da horta seja rico em nutrientes e matéria orgânica para que as plantas cresçam com saúde e resultem em hortaliças de qualidade.
Há formas diferentes de preparar o solo com uma boa quantidade de nutrientes, existindo, inclusive, alternativas de terras já preparadas que podem ser compradas em lojas especializadas. Quem deseja fazer a preparação em casa pode adotar uma das receitas indicadas por especialistas.
4. Adubação
Manter o solo da horta rico em nutrientes através da adubação vai ajudar a formar plantas mais bonitas, viçosas e bem desenvolvidas.
As hortaliças são muito exigentes em nutrição, por isso, além do solo previamente preparado, depois que as plantinhas estiverem crescendo é necessário fazer adubações complementares a cada 15 dias.
As adubações podem ser feitas com compostos orgânicos, esterco de galinha ou gado, húmus, sulfato de amônio ou adubos químicos. Lembre-se que quanto maior a variedade de adubos orgânicos utilizados, melhor para a saúde – sua e das plantas!
5. Colheita
O tempo para colher um vegetal varia muito de acordo com a espécie de planta e pode ser influenciado pela época do ano, pela qualidade do solo, nutrientes, irrigação, eventuais pragas ou doenças e demais cuidados no cultivo. É comum que os pacotes de sementes venham com a previsão de colheita indicada na embalagem, mas este não deve ser um fator limitante em uma horta caseira.
A planta não precisa estar no seu desenvolvimento máximo para iniciar a colheita. Você pode colher antes.
Controle de pragas
Até mesmo as pequenas hortas caseiras estão sujeitas a pragas. Felizmente, como as proporções são menores, também torna-se mais fácil controlar o problema e manter as plantas saudáveis sem grandes transtornos.
As pragas em hortas caseiras podem ser combatidas de maneira simples, manualmente ou utilizando sabão neutro, detergente de louça e/ou extratos de pimenta ou alho.
água.
Prefira instalar a sua horta em um cantinho da casa com o qual você tenha bastante contato para que ela fique sempre visível, se possível – ou seja, se as condições de luz e ventilação forem adequadas. Desta forma, cuidará mais, desfrutará mais acompanhando o crescimento da planta e acabará colhendo mais por ter mais cuidados com esta horta.

ervas8

Pensando em ampliar a casa com um ambiente novo? Já pensou em utilizar seu próprio quintal, terraço, varanda ou sacada para isso? Se você souber como aproveitar cada centímetro dele, um novo ambiente pode surgir como num passe de mágica. Veja como:

FORA

Deixe aconchegante
Cuide do seu quintal com a mesma atenção que você tem com a sala. Deixe ele um espaço habitável e convidativo, com lugares confortáveis para se sentar e passar o tempo. Cuidar da iluminação também é importante, ventiladores também são bem-vindos para os dias mais quentes e ensolarados.

FORA1

Conecte a área interna com a externa
Sua sala ao ar livre não pode ficar alheia ao resto da casa. Para integrar o interior ao exterior, dê continuidade ao revestimento de dentro para fora. Se você tiver um telhado, por exemplo, continue-o até que os ambientes se encontrem. Outra forma de integrar os espaços é definir um padrão de cor para as paredes e o piso.

fora9

Encontre o foco do quintal
Os cômodos dentro de casa têm sempre um ponto focal: o sofá da sala, a cama no quarto ou a mesa da sala de jantar, por exemplo. O mesmo deve acontecer com a ” sala ao ar livre  “. O foco pode ficar em um forno à lenha, uma lareira ou até mesmo um jardim vertical.

FORA4

Trabalhe com cores
Assim como dentro de casa, as cores precisam ser pensadas. Adote o sistema 60-30-10: 60% do ambiente composto pela cor principal (paredes), 30% do espaço com uma cor secundária (a maior peça do mobiliário, por exemplo) e 10% de texturas, como pinturas e almofadas.

FORA7

Esse espaço externo possui um grande potencial de transformação em uma casa e, pode servir como um lugar além de um espaço para ficar, servir também para cultivar uma horta e ter tudo fresco na hora de cozinhar.

foras
Dada a sua altura, por vezes se tornam lugares com vistas incríveis. 
Ficará a seu critério investir o quanto quiser para incorporar mais itens, afinal ele pode ter várias funções. 

Qual pessoa iria deixar passar a oportunidade de incorporar uma churrasqueira, por exemplo, logo que descobrir possuir a metragem quadrada adequada para construí-la? Se você quiser, poderá adicionar uma churrasqueira portátil, que é uma opção, ou construir uma grade fixa. O que posso assegurar é que a sua presença será diversão garantida. Além disso, a altura do terraço garantirá a ventilação do ambiente, evitando densas nuvens que formam fumaças e labaredas. O vento propicia dissipar a fumaça, deixando o ambiente perfeito para essa atividade.

FORA3

O piso é um elemento importante nos terraços, ainda mais se você planeja fazer uma boa transformação. Recomendo você escolher móveis confortáveis, feitos de materiais resistentes como a mescla de ferro com madeira, para dar graça ao ambiente.

fora10
Não se esqueça de que a decoração também vai ajudá-lo a relaxar e se divertir.

fora11

Quer um orçamento, não deixe de me consultar pelo e mail kika@kikajunqueira.com.br 

Chega o final de semana e o churrasco é um dos momentos gastronômicos mais que bem-vindos na vida dos brasileiros. Ainda mais quando o espaço da churrasqueira é planejado e organizado para que todos se sintam à vontade.
.
Confira as dicas para montar um espaço com a sua cara, seja em casa ou apartamento, e algumas ideias para deixar esse cantinho ainda mais gostoso.

churras2
Tipos de churrasqueiras

As churrasqueiras de alvenaria são clássicas e ideais para uma área ampla, pois as preparações são a carvão. É um modelo bastante utilizado em ambientes externos. As pré-moldadas, podem ser colocadas em ambientes externos e internos. Esses modelos funcionam à carvão e também podem vir com fornos à lenha para assar pizzas e pães. Para que tenha bom funcionamento é necessário prever a instalação de uma coifa ou chaminé juntamente com as peças. As pré-moldadas também são os modelos que vem instaladas nas sacadas de muitos apartamentos.
Com uma variedade de tamanhos, as churrasqueiras elétricas e portáteis são de fácil instalação. Basta ligar na tomada e colocar a carne para dourar. Não é a toa que a churrasqueira elétrica está entre os modelos mais vendidos, além do mais é um dos modelos mais apropriado para os apartamentos que não vem com churrasqueiras nas varandas e nem possuem uma sacada muito ampla.
As churrasqueiras embutidas são perfeitas para quem tem espaço limitado, porém é necessário um projeto prevendo a instalação no ambiente, para garantir que tudo funcione corretamente.

O espaço

Para instalar a sua churrasqueira, priorize a local próxima a uma pia com uma bancada de fácil acesso para manusear alimentos e a limpeza dos utensílios.

Se o ambiente for externo, a dica é preparar uma cobertura para evitar a iluminação natural direta. Invista em pergolados, toldos ou coberturas metálicas. Isto também evita que você seja pego de surpresa no meio do churrasco, pelas chuvas de verão ou garoa no inverno.

churras3
Para ambientes internos, a dica é dividir o ambiente com um balcão alto com tampo de madeira ou mármore, com banquetas altas para deixar com clima de bar. Além disso, os convidados ficam com uma ótima visão do que está sendo preparado e o churrasqueiro pode servir petiscos, bebidas e dar atenção para todos ao seu redor.

Pisos e revestimentos

Reunir pessoas, mexer com carne, bebidas, e as vezes carvão faz sujeira. Por isso é importante instalar pisos e revestimentos fáceis de limpar e que se mantenham com o aspecto bonitos e de novos por muito tempo.

No chão as cerâmicas são perfeitas e fáceis de limpar. Basta um pano com água e sabão que está tudo pronto para o próximo churrasco, apesar da madeira fazer bonito aqui também.

churras6

Pense que os revestimentos dão todo o charme a esta área, e além de visual, este deve ser analisado para que não cause problemas como: umidade, infiltrações, cores que mancham, desbotam e outros fatores que podem levar ao prejuízo.
As pastilhas estão entre os principais elementos também, além da vasta variedade de cores para combinar com o restante da decoração. Já os azulejos combinam nos espaços mais alegres e são perfeitos para essa área de convivência.

Os porcelanatos suportam altas temperaturas e choques térmicos, evitando que a churrasqueira trinque ou dilate, ao assar uma costela que fica horas no fogo, por exemplo.

churras10

O modelo clássico é o revestimento com tijolinho à vista, mas atenção ao tom da cor e à porosidade do produto escolhido para prevenção de manchas, caso respingue gordura ou líquidos.

churras1

churras11

Móveis para sua churrasqueira

Para incrementar a decoração da sua churrasqueira, invista em coisas para facilitar a vida na hora do churrasco, afinal é uma hora para ninguém se preocupar.
Ter geladeira, freezer e fogão dá um aspecto de cozinha integrada e moderna. Outra dica é ter armários para guardar pratos e copos que você irá usar no ambiente. Fica bem mais fácil quando está tudo no mesmo lugar.
Invista em uma ampla mesa com cadeiras confortáveis, fique bem na decoração e para acomodar bem as pessoas. 

churras9

Como já citado, os bancos e banquetas altas ficam charmosas próximas ao balcão e garantem mais lugares, quando você receber um grupo maior de amigos na sua casa.

churras4

Decoração
Os elementos decorativos descontraídos sempre caem bem na decoração de churrasqueiras.
Os kits de espetos e grelhas podem ser elementos funcionais que contribuam para a decoração do ambiente. Além disso, baldes de gelo, copos e louças bacanas fazem toda a diferença nessa hora também.

churras8

Não esqueça de investir em uma bela tábua de carnes. Além de funcional ela pode ser o centro das atenções.

churras7

Decorar sala pode ser complicado para muitos, sala pequena então é uma tarefa que exige um mínimo de planejamento.
Segure a ansiedade e a tentação de sair comprando todos os móveis de uma vez sem pensar como eles vão funcionar juntos. 
Neste post eu te conto truques para decorar uma sala pequena com exemplos reais de um projetos bem explorados em 5 passos.

ID

1. Decida como o espaço será usado
A primeira pergunta que você deve se fazer quando for decorar uma sala pequena é:
Com ou sem TV?
A sua resposta vai direcionar todas as outras decisões:
– Que tipo de sofá comprar?
– Como organizar os móveis na sala?
– Que outros móveis vai precisar além do sofá e do ” rack ” / painel para TV?

ID4

Seu desejo é criar um espaço para receber os amigos para jantar, bater papo ou para um happy-hour? Mas também usar para relaxar, ler e ouvir música quando estiver sozinha? Tudo isso precisa ser levado em conta antes de decidir sair e comprar os móveis, ou seja, requer planejamento.

2. Organize os móveis pensando nas atividades que vai realizar no ambiente
Como organizar os móveis em uma sala voltada para receber amigos e familiares?
Tenha 2 ou mais assentos posicionados ao lado, de frente ou em diagonal para o sofá que é o assento principal.

ID1
Desta maneira seus convidados ficam próximos uns dos outros e podem se olhar, estimulando o bate-papo e criando um layout aconchegante.
Ter uma poltrona, que assume dupla função sendo usada também como canto de leitura, e incluir uma cadeira leve de frente para o sofá, é uma boa saída.
Essa organização circular cria um núcleo de bate-papo “fechando” mais o layout e deixando o espaço mais acolhedor.

ID2

Se forem necessários mais assentos, 2 cadeiras da mesa de jantar podem ser posicionadas do lado ou em frente ao sofá  completando o círculo também.

ID9

3. Crie um ponto focal
Em uma sala com TV, a TV automaticamente se transforma em ponto focal da decoração, já que o principal móvel da sala, o sofá, está voltado para ela. Uma sala sem TV precisa de pelo menos um ponto focal.
O ponto focal é aquele elemento que captura a sua atenção assim que você entra em um ambiente.Pode ser uma parede colorida, uma estante bem arrumada, uma composição de quadros, um detalhe arquitetônico, um agrupamento interessante de móveis, escultura ou plantas.

ID5

4. Escolha uma paleta de no mínimo 2 ou 3 cores

Ambientes monocromáticos podem parecer sem graça e frios. 

Isso acontece porque todas as cores são iguais e principalmente porque os materiais e acabamentos dos móveis são os mesmos. O mesmo tecido nos estofados e a mesma madeira em todos os móveis. Não há contraste.

ID3

5. Misture texturas
Misturar materiais com diferentes acabamentos e texturas é fundamental para deixar qualquer ambiente aconchegante.

ID8
Para trazer texturas para a decoração pode ser; 
– Estante e mesa de apoio de madeira rústica e ferro,
– Tapete estampado (estampa também é textura),
– Pequenos elementos para dar função ao conjunto (aparador/bar, cadeira, prateleiras),

ID7
– Tramas naturais e artesanais,
– Composição de quadros,

ID10

A sua criatividade é o limite! Se precisar de mais ajuda me escreva, vou adorar contribuir.

Você conseguiu se mudar para seu tão sonhado primeiro apartamento/casa, mas nem sempre ela tem a metragem essencial para caber todos os móveis que você deseja. E agora? Como otimizar o espaço e fazer o ambiente parecer mais amplo?

Vamos começar pelos móveis para sala, o ambiente que pode ser o cartão de visitas da sua casa.

Evite móveis desnecessários

Nesse caso, menos pode ser realmente mais. Colocar muitos móveis por m² pode fazer sua sala parecer ainda menor e confusa. O sofá normalmente é a estrela da sala, mas em um ambiente pequeno ele pode se tornar um elefante branco. Escolha um proporcional ao seu espaço e não esqueça de levar em consideração a circulação do local.

peq
Um sofá bojudo e retrátil pode ser muito confortável, mas não sobrará lugar para mais nada. Se ele só cabe em uma posição, parta dele para organizar os outros móveis ao redor. Também não existe a necessidade de encostar todos os móveis nas paredes, para uma suposta sensação de mais espaço no centro. Um sofá de dois lugares pode ser complementado com uma dupla de poltronas na lateral para quem costuma receber visitas e delimitando a área da sala.

peq3

Também não é necessário se prender só a dupla sofá + rack de TV. Aliás, o rack é um dos móveis que pode ser abolido.
É essencial ter TV na sala? Muitos modelos permitem prender o aparelho diretamente na parede. Para apoiar aparelhos de som, tv a cabo e enfeites, você pode instalar uma única prateleira longa embaixo.

peq5

peq4
 Explore também a altura da parede, investindo em nichos e prateleiras mais rentes ao teto.

peq1

Já a mesa de centro pode ser trocada por uma mesinha lateral ao sofá, ou mesmo um carrinho de bebidas que pode fazer as vezes de apoio.

peq7

peq0
Invista em detalhes para decoração que não ocupem espaço, como um pufe, ele faz também a vez da mesa de centro e vira mais um assento para acomodar visitas.

peq6

peq8

A escolha do tapete de acordo com o tamanho do ambiente também é essencial. A peça deve, de preferência, ter a largura do sofá, mas não precisa ter a mesma área da sala, para não engoli-la. Se ele cobrir apenas o centro do ambiente, já dará a ideia de mais amplitude.

peq9

Para complementar a decoração, aposte em uma parede com montagem de quadros e pôsteres que vão dar charme ao ambiente pequeno.

peq12

peq11

peq13
Mas se quiser dar aquela repaginada, não deixe de conferir mais dicas aqui!