Le Petit Chouchou


Banquinhos: uma paixão nacional

O banquinho é o tipo de peça que só nos damos conta de que existe quando nos falta, porque sua presença é tão indispensável como sutil. Pequeno, não ocupa espaço e não destoa de nenhuma ambientação – e nós, brasileiros, o usamos em todas as ocasiões.

faia3

Ele convida à formação de uma roda, ao diálogo, à informalidade.

faia4

faia5

O banco agrega, soma, é o objeto que se carrega daqui para lá, que ajuda a recolher algo na parte de cima do armário. E, se usamos tanto, também produzimos muito, do artesanato mais simples ao design mais sofisticado. 

faia10
Diferentemente das cadeiras, com seus espaldares mais altos ou mais baixos, os bancos não estabelecem hierarquia entre as pessoas, mas criam uma relação de igualdade.
De nomes semelhantes e desenhos diferentes, bancos, banquinhos e banquetas podem cumprir diversas funções na decoração da casa.

faia6
Maiores e mais largos, os bancos acomodam com conforto mais pessoas, e ajudam a dividir os ambientes de uma sala, tal qual fazem os sofás. Já as banquetas, mais altas, geralmente são utilizadas ao lado do bar ou para compor a bancada de uma cozinha americana.

faia9

Os banquinhos, por sua vez, são pau para toda obra: funcionam como assentos mais baixos em qualquer lugar da casa, servem para apoiar os pés, fazem as vezes de mesa de centro ou lateral, assim como os outros.

faia7
De diferentes épocas, materiais e dimensões, sempre existe um banco, banquinho ou banqueta que pode transitar com estilo pelos mais diversos ambientes.

faia8

Nos mais amplos, as peças maiores podem ocupar lugar de destaque no décor; já em casas ou apartamentos onde o espaço é precioso, é sempre útil tê-los como uma boa opção para receber os amigos – seja mantendo-os escondidos embaixo de algum outro móvel ou empilhados em algum canto discreto.

faia11

Revisteiros para organizar a casa

Em tempos de contato mais intenso com nossas casas, temos a oportunidade de avaliar melhor nossa relação e a utilidade dos móveis e objetos que nos cercam. Peças multifuncionais podem ser uma boa pedida para liberar espaço e facilitar o dia a dia.

Mas se você é como eu, que não resiste a uma revista, e quer deixá-las por perto para serem consultadas quando quiser, elas merecem ser dispostas em acessórios atraentes.

revis

Se você não tem medo de inovar, sugiro que as empilhe. Coloque-as no chão e utilize como complemento decorativo, ou se tiver um móvel sobrando espaço, fica a ideia de organizar decorando.

revis1

Os clássicos revisteiros de chão

Se a ideia de empilhá-las não parece interessante para você, mas você não gosta de guardar as revistas sem proteção ou abrigo, também é fácil de combinar um revisteiro clássico e tradicional.

revis2

Esses, em aço inoxidável, policromados ou de estilo vintage, são aptos para todos os estilos e lugares e terá sua revista a mão para folheá-la em qualquer momento.

revis3

revis7

Se atrapalhar a passagem, coloque em cima da mesa.

revis15

Exponha suas revistas na parede
Um dos modelos mais utilizados nos looks de famosos interioristas é o revisteiro de parede tipo expositor.

revis5

Trata-se de um suporte metálico ou em madeira, com alguns suportes onde podemos colocar os livros, revistas ou caderninhos. É um bom recurso para organizar e deixar a parede original.

revis16

revis8

Você tem espaços amplos? Traga uma velha escada que está encostada.

revis10

Crie um revisteiro original, onde poderá conservar suas revistas abertas no ponto exato onde parou de ler.

revis9

Aquela tendência de tirar as roupas fora do armário em uma arara, já não te atrai mais?  Você pode reutilizá-la com a função de revisteiro. Abra suas revistas pela metade (aproximadamente), coloque-as nos cabides e pendure-as na estrutura metálica.

revis11

revis13

Veja que qualquer cano pode ter essa função, e ainda de quebra, cria um visual industrial cool.

revis12

Ideias não faltam, só ver o que mais combina com você.

revis14

revis17

 

Dia dos namorados em casa

Este será um Dia dos Namorados muito diferente do normal, sem dúvidas. Mas esse clima de distanciamento não vai ser obstáculo para quase 60% dos casais, segundo as pesquisas, que afirmam que vão comemorar a data.
Para transformar essa expectativa em realidade, será necessário mais criatividade. Ainda assim, mesmo sem sair de casa, é necessário ter uma programação e boas ideias para tornar a data inesquecível. Pensando nisso, separei algumas dicas, mesmo em tempos de pandemia.

get

Jantar em casa
A pesquisa apontou que 40% dos casais estão planejando jantar em casa. E acredite, é possível tornar esse jantar inesquecível.

get5

Além de selecionar uma boa receita, que pode ser daquele prato favorito de vocês, ou algum preparo inusitado que vai surpreender todo mundo, vale pensar em detalhes inovadores para a decoração e a programação da noite.

get3
Devido às medidas de distanciamento social, preparar o jantar em casa é uma alternativa segura e será a aposta de muitos casais neste ano.

get4
A comemoração em casa pode ganhar toques dos deliverys, que tiveram protagonismo durante todo esse período de pandemia, podem ser importantes aliados para a programação desta noite! Tanto para entrega de ingredientes, em aplicativos de supermercados, quanto para dar um up no prato principal ou nas entradas, ou ainda com bons vinhos.

get9

Outra boa ideia é preparar a sessão relax em casa mesmo. Uma taça de vinho e uma playlist com som ambiente criam o clima perfeito.

get6
Decorar o ambiente não precisa ser sinônimo de investimentos altos. Espalhe alguns bilhetes pela casa em forma de “varal”, ou utilizando fotografias e itens que tragam boas lembranças do relacionamento de vocês.

get7
Outra sugestão são os balões.

get8

Para completar a noite, invista em decorações para criar o clima desejado.

get1

get13

Pensar em drinks também pode deixar a comemoração divertida.

get14

As opções mais clássicas para esquentar a noite fria do mês de junho, queijos e vinho, pode ser a escolha de muitos casais para o Dia dos Namorados.

get11

get12

Seja qual for a alternativa escolhida, a data não pode passar em branco, principalmente neste momento em que precisamos desse amor para superar os desafios da pandemia.

get10

Paredes cheias de personalidade

Quadros na parede? Isso é um clássico, ok, mas já pensou em pendurar pratos na parede? Pois bem, nossas avós fazem isso há décadas, mas não é que essa moda pegou pelos ambientes e Pinterests da vida?

pil

Um mix de pratos e estilos, colocados de forma displicente ou milimetricamente pensada, a ideia parece que traz muita personalidade ao ambiente e um toque de charme quase vintage.

pil1

pil4

Vale também uma mistura do mesmo estilo, mas em composição aleatória.

pil2

pil3

pil5

Até mesmo os adeptos da decoração minimalista vão concordar que decorar a parede pode fazer toda a diferença no resultado final da decoração, mesmo que seja com um só prato.

pil8

pil7

Mas não pense que apenas quadros e pratos podem adicionar personalidade num cantinho vazio.

Tem cestas perdidas por aí? Dê novas funções a elas também.

pil9

pil10

pil11

Sobrou somente uma bandeja ? Ela também tem sua vez.

pil12

 

USE BEM O QUE SE TEM

Nossas casas contam muito de nossas histórias. Lembranças de algo ou alguém, emoções vivenciadas em um determinado local ou oportunidade… está tudo ali! E, no mais amplo significado conceitual, não há bonito ou feio, brega ou chique, caro ou barato. Sentimentos e lembranças são muito particulares, não cabendo julgamentos sobre tais importâncias ou valores. A cômoda que herdamos dos avós, o vaso que trouxemos de viagem… E o quadro que foi pintado pelo sobrinho? Desde cedo somos introduzidos aos trabalhos manuais e aos conceitos de restauração – criamos, adaptamos e reaproveitamos. Então, a decoração vem para resgatar esses critérios de forma harmônica e ordenada no intuito de valorizar ainda mais tudo aquilo que nos marcou para sempre de alguma maneira.

memo
Cores, aromas, nossa memória sensorial é imutável. Pode permanecer adormecida por algum tempo, mas desperta ao primeiro sinal de alerta. E como é bom rever álbuns de fotografia, abrir caixas com agendas antigas, reler anotações e cartões postais! Penso que a casa deva contar essas histórias, guardar segredos e ser, de alguma maneira, nossa parceira nesses momentos de resgate.

memo1
Parte da essência do trabalho dos designers de interiores, está na necessidade de trazer para o convívio dos clientes esses links afetivos do passado. Aqui não me refiro a um garimpo intenso por antiquários, mas uma pinçada estratégica de emoções sempre cabe.

memo2
– Porta-retratos reunidos num aparador, ou emoldurados na parede;

memo3
– Pinturas escolares misturadas com outros quadros, gravuras de viagens;

memo8

– Quadros de cortiça com fotos divertidas de várias épocas;

memo5

– Uma cadeira repaginada;

memo4
– Objetos importantes em locais de destaque … e por aí vai!

memo6
Veja o quanto vale a pena insistir e investir na ideia de resgates, sempre com muita moderação e cautela.

Desses papos, pode surgir :
– Aparadores e bancos incríveis;

memo7

– Mesas de jantar totalmente restauradas viram o centro das atenções;

memo10
– Luminárias de teto e arandelas;
– Sofás e poltronas com novos tecidos que arrancam suspiros!

memo11

Na entrega, o resultado é sempre o mesmo, carregado de surpresa e emoção. E esse é o caminho! Essa é a casa com alma, é daí que nasce a nossa conexão com o espaço.

memo9
Por hoje seguimos com essas lembranças! Que tal trazer de volta as suas e encontrar um lugar na casa para elas?